Cintia

Martin

OLIMPÍADAS

Nascida em 21.12.1970, Cíntia Martin iniciou seus estudos na dança em 1978, no Centro Profissional da Dança Ballet Dalal Achcar, onde cursou Ballet, Jazz, Sapateado e Dança Caráter até 88. Adquiriu seu registro de profissional da dança no ano de 1987 e a partir de julho deste mesmo ano passou a centralizar-se no sapateado, procurando fazer cursos com os melhores profissionais da área no Brasil.

Daí para frente, fez diversos musicais como integrante da Orquestra Brasileira de Sapateado, shows e performances solo, aparições na TV e cursos com grandes mestres mundiais, como Gregory Hines, Brenda Bufalino, Harold Nicholas, Savion Glover, Jimmy Slyde, Van Porter, Barbara Duffy, Buster Brown, Prince Spencer, Margaret Morrison, Tony Waag, Baakari Wilder, Ted Levy, Sarah Petronio, Lynn Dally, Sam Weber, Max Pollak, Gene Medler, Karen Callaway, Ayodele Casel, entre muitos outros.

Em 1988, convidada a integrar a Cia Dá No Pé, conceituada cia de sapateado do RJ, iniciou sua carreira profissional, atuando em seu primeiro musical de teatro, a peça infantil “A Pipa”.

Em 1994, com Stella Antunes, dançou em New York junto a grandes nomes do sapateado como Van Porter, Chuck Green, Jimmy Slyde, Lon Chaney, Barbara Duffy, Margaret Morrison e outros.

Em fevereiro de 1996, em New York, foi presenteada, juntamente com Cintia Chamecki, por Brenda Bufalino, diretora da American Tap Dance Orchestra (ATDO), com um duo improviso no “Gertrude’s Nose – A Tap Opera”.

Em 1997, lançou “A Arte do Sapateado em Pequenas Dicas”, publicação em português em formato de apostila, sobre a história, técnica, mitos do sapateado e dicas, e em 1998 inaugurou a TapWeb Cintia Martin, site dedicado ao sapateado que conta um pouco de sua experiência, com fotos, links, entrevistas, cadastros, debates, dicas, etc.

Em julho de 1999, convidada por Brenda Bufalino, foi a primeira brasileira a participar de um curso individual intensivo de sapateado avançado no estúdio particular de Mrs. Brenda, na cidade de New Paltz, nos Estados Unidos.

Se apresentou, também em julho de 1999, no “On Tap!”, evento de sapateado, no Café Forty-One, em New York, a convite de Margaret Morrison, realizando números de improviso com trio de músicos, e na jam session do “Swing 46”, comandada por Buster Brown também em New York.

Em 2000, criou seu próprio grupo de sapateado, a “Companhia Claquettes”, dirigida e coreografada por Cintia com sede no Rio, desenvolvendo trabalhos coreográficos baseados nos mais diversos ritmos e estilos musicais. Em 2002, no Rio, com coreografias e direção de Cíntia, a companhia apresentou seus dois primeiros espetáculos, “Afinando” e “Tributo ao Sapateado”.

Em 2001, participou como coreógrafa do espetáculo “Maquinária”, da Orquestra Brasileira de Sapateado. Neste mesmo ano, tornou-se a primeira brasileiria a ser citada no Who’s Who in Tap, lista dos grandes performers do sapateado dentro da Tap Dance Homepage, site que é referência mundial sobre sapateado.

Em julho de 2001, convidada por Tony Waag, um dos fundadores da American Tap Dance Orchestra, participou do I New York City Tap Festival, apresentando coreografia sua baseada em ritmos brasileiros nas duas apresentações da noite Tap Internationals, show com a participação de expoentes do sapateado de diversos países. Se apresentou, em número de improviso com músicos ao vivo, na “Welcoming Party”, jam session de sapateado na Broadway Dance Center. Cintia Martin foi a única brasileira a fazer as Master Classes com todos os professores (Gregory Hines, Brenda Bufalino, Karen Callaway, Prince Spencer, Tony Waag e Buster Brown), além de participar de cursos com mestres do sapateado mundial como Sarah Petronio, Lynn Dally, Ted Levy, Max Pollak, entre outros.

Também no exterior, Cíntia obteve destaque em revistas como On Tap, principal veículo da International Tap Association, em matérias diversas publicadas entre 1999 e 2001, além da Dance Spirit (2001), com depoimento em matéria sobre jam sessions e improviso, e da Dance Magazine, destacando seu trabalho em matéria de 2006 a respeito do cenário da dança no Brasil.

Em 2005 participou do espetáculo “Velocidade”, integrante do Projeto “Multimídia”, de Tim Rescala, e em 2007 lançou seu espetáculo solo “A Poética do Pé”: com estes espetáculos, percorreu diversas cidades do estado do RJ.

Em 2010, ministrou aulas de intermediário/avançado para turmas da academia Twins Tap Dance Center em Buenos Aires, Argentina. Em setembro do mesmo ano, lançou “Toques – Vivendo, Aprendendo e Ensinando Sapateado”, publicação em português sobre sapateado de sua autoria, ampliando o trabalho começado em 2004 de mesmo nome, ainda em formato de apostila, agora em livro.

Retornou a Nova York em julho de 2015, onde fez aulas com professores como Aaron Tolson, Ray Hessilink, Charles Renato, e participou da jam session do Copasetic Boat Ride, entre outras atividades.

Cíntia Martin vem participando, como mestra, coreógrafa, solista ou jurada, de diversos festivais de dança pelo Brasil, como o “Dança Ribeirão” (2002, 2006 e 2011) e a edição de 20 anos do “Festival de Dança de Joinville” (SC, 2002), onde foi jurada e mestra dos cursos de sapateado intermediário e avançado, entre outros. Na edição de 30 anos do mesmo festival, em 2012, atuou como jurada da noite de competições de sapateado.

Nos últimos anos, foi mestra em cidades como Salvador (BA), Niterói (RJ), Campinas (SP), Guarapari (ES), Araguari (MG), Uberlândia (MG) e Viamão (RS), entre outras, e em workshops de importantes festivais. Participou, como mestra e/ou jurada, de festivais como o “Passo de Arte” (em Santos 2003 e 2004, em Fortaleza em 2010 e 2015 e em Indaiatuba em 2012, 2015 e 2016) e a “Mostra Pernambucana de Sapateado” (Recife, em 2003 e 2009), entre outros. Em 2010, retomou sua carreira internacional ministrando aulas em Buenos Aires, Argentina, além de participar das edições de 2008, 2009, 2013, 2014 e 2016 do “Tap In Rio”, evento internacional de sapateado no Rio de Janeiro.

Durante todos estes anos, vem ministrando cursos, palestras e performances em diversas cidades da região Sudeste (Rio, Niterói, Campinas, São José dos Campos, Santos, Ribeirão Preto, Uberlândia, Araguari, Guarapari), Sul (Joinville, Curitiba), Centro Oeste (Goiânia, Brasília) e Nordeste (Recife, Fortaleza, Salvador) e também no exterior (Buenos Aires e Nova York). Atualmente vem se especializando no improviso, sendo uma das únicas sapateadoras brasileiras a dominar a técnica de sapatear, em improviso e ininterruptamente, em cima de música ao vivo.

MÍDIAS SOCIAIS
CURTA!
FALE CONOSCO